quinta-feira, 26 de julho de 2007

no meio do caminho tinha uma arvore


Quando me disseram que as nuvens não eram de algodão, eu não quis acreditar.
Por que??
Ando compreendendo a inércia não como um problema, e sim como uma eventual solução.
Pois é, vcs entenderam??
Não??
Deixa pra lá, estou assim mesmo.

A semana começou cheia de luz. Falei que tem acontecido coisas legais, depois que voltei de Fortaleza.Mas posso afirmar que já estava acontecendo antes mesmo de viajar.
Apenas cristalizou.
É.
Estou naquela de se fazer entender antes mesmo de começar, refugiando-se no mais seguro mundo da fantasia, onde toda (aparente) incongruência é bem-vinda.
Minha palavra de ordem é tranceder. Ando vendo muita coisa sem concerto, vou fechar os olhos e passar batido. Não que eu seja omissa, mas estou com a natureza poetica dentro de mim. Então estou sublimando minhas vontade.
Posso e tenho o direito de fazer isso.
Tem uma texto lindo, que ando contando sempre pra amigos. Ele começa assim:

Tinha uma arvore no meio do caminho

"A menina conheceu o menino.
E se encantou.
Se encantaram.
Se cantaram.
Mas...... Ela temia.
Ele via, ela fugia.
Ela sempre ficava de longe.
Observando, observava.
Queria viver a magia do olhar.
Não existia nada além do olhar.
Apenas uma árvore pra se esconder e suspirar.
Somente uma árvore.
Mas e ele??
Ele tinha no olhar.
O querer, o ter, o fazer.
Será que ele sabia??
Não, ele tambem não sabia e nem queria explicar.
E ela??
Ela não mais mediu...., se deixou levar.
E a vida tá levando.
Tudo nas partes.
Inteira.

Quando me disseram que as nuvens não eram de algodão, não quis acreditar.
Pra que??

Começo e termino com meu amigo Drummond de Andrade, que não me deixa mentir poetando meu momento.....

Nenhum desejo....
nenhum problema nesta vida
o mundo parou de repente
os homens ficaram calados

A mão que escreve este poema
não sabe o que está escrevendo
mas é possível que se soubesse
nem ligasse.

(escrito por rosinha)

7 comentários:

Diana disse...

Entendo perfeitamente sobre a inércia e a solução, poderia ser uma complementação da lei d Newton...bjos!Adorei o texto posso copiar?

Cristina disse...

Eita Rosinha.
Tou achando que tu tá vendo passarinho verde.
Tá é poetica mesmo, e haja devaneios.

Rosa Magalhães disse...

"Nem ligar" de vez em quando é bão!! Desligar-se de umas coisas também. Dias de calmaria por aqui, viu? Resolvi chutar o pau da barraca e a bola pra frente... Vai lá, tem novo post. Beijo.

Marco Antonio disse...

Linda, amada Rosa. Tua docura invade devaneios mais que poeticos.
Lindo texto.

Renata dias. disse...

Ei menina, literalmente, some não.
Eita menino de sorte.

Anônimo disse...

Com esta rosa no cabelo e este andar de moça prosa...

Rosinha, muita luz pro ce :D

Beijos grandes

Marcinha

Lela disse...

O que tem lugar na alma, Rosa, tem lugar na concretude da vida. O que existir em sua alma lhe acontecerá. ;)
Beijo.