terça-feira, 24 de junho de 2008

vida breve...e cheia de despropósitos....

Dia desses estava conversando com uma amiga no msn sobre a vida, amores, perdas, filhos, trabalho. Sempre chego a conclusão que a vida é um eterno recomeço. Não importa onde se pára, onde se cansa, o que importa é sempre dá uma chance a si mesmo, renovando a esperança na vida. E no decorrer na conversa, falamos também dos sonhos e devaneios. Como é dificil aceitar nossas imperfeições, nossas falhas, nossas ilusões. E lendo hoje o blog de Rosa Magalhães (http://odamae.zip.net/) e a mensagem que ela deixou no meu blog no post passado, constato que o que importa não é sofrer, não é sentir, não é saber...é ser.
Obrigada a vc Oda. Até hoje espero o café com bolo de Sanka ao seu lado.
Confesso que ao ler chorei....
E como diz uma amiga pernambucana porreta chamada Marcinha, que mora em Paris...

-Rosa bora voar...
- Bora.
E Manoel de Barros num de seus sábios textos já dizia numa frase...
"Vamos aprender a gostar dos vazios eles são maiores e infinitos..."
Como nosso alma.


"Tenho um livro sobre águas e meninos.
Gostei mais de um menino que carregava água na peneira.
A mãe disse que carregar água na peneira era o mesmo que roubar um vento e sair correndo com ele para mostrar aos irmãos.
A mãe disse que era o mesmo que catar espinhos na água.
O mesmo que criar peixes no bolso.
O menino era ligado em despropósitos. Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.
A mãe reparou que o menino gostava mais do vazio do que do cheio.
Falava que os vazios são maiores e até infinitos.
Com o tempo aquele menino que era cismado e esquisito porque gostava de carregar água na peneira, descobriu que escrever seria o mesmo que carregar água na peneira.
No escrever o menino viu que era capaz de ser noviça, monge, rei ou mendigo ao mesmo tempo.
Foi capaz de interromper o vôo de um pássaro botando ponto final na frase.
Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.
O menino fazia prodígios...
Até fez uma pedra dar flor!
A mãe reparava o menino com ternura.
E falou: Meu filho você vai ser poeta....Vai carregar água na peneira a vida toda...Vai encher os vazios com as suas peraltagens e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos. (manoel de barros)


Pois pois...
As vezes...
As vezes brigo...
As vezes me acho linda...
As vezes me acho feia...
As vezes caio...
As vezes subo,
E mesmo assim....
Sempre estou carregando água na peneira.

Xero na alma linda de quem passa por aqui.


15 comentários:

Rosa Magalhães disse...

Tenho os olhos rasos d'água e a alma repleta de alegria, Rosinha! Porque eu quero (e vou) carregar água na peneira minha vida inteirinha... e vento nas mãos, para quem quiser ver como é. Que nem eu. Amo-te, obrigada!

(p.s.: bolo no findi? vou marcar com Sankinha e ligo procê)

Quem sou eu? disse...

absolutamente sem palavras.

sério.

p.s. bolo, também espero.

beijos!!!

Regina disse...

Olá querida! Sei que ando meio ausente, vem a calhar com seu post.
Ah, a vida parece que nos rouba o tempo, porém é ela que nos ensina a viver, nos oportuniza tantos saberes,
e nos perfuma a alma com momentos alegres e algumas que nos parecem tristes, mas não menos valiosos para o nosso aperfeiçoamento.
Tenho trabalho muito e retornei aos estudos, mas quando possível voltarei para energizar minha alma e clarear minha mente com palavras belíssimas que aqui encontro quando venho visitá-la.
bjs, fique com Deus.

titofarpas disse...

Passei por aqui e adorei o blog...
Posso colocá-lo num cantinho do meu?
Felicidades

O Profeta disse...

Hoje o Sol pintou de luz o verde
As hortênsias são nuvens na terra
Plantadas por um deus romântico
No sortilégio que esta ilha encerra



Um luminoso Sol te acalente a alma



Mágico beijo

Tatá disse...

Também sempre acreditei nisso: "a vida é um eterno recomeço."
E o texto de Manoel é lindo, realmente devemos preencher nossos vazios com peraltagens...
Lindo o seu texto.

Um beijo pra você.

ki-colado disse...

Via profeta...
Vim ao seu cantinho...
Deixo as rosas com seus espinhos...
E um toque suave do meu eterno carinho.

Saudações.

Ana Jácomo disse...

Rosinha querida, que delícia esse texto seu. Adorei. É uma oportunidade de encontro e descanso ler os textos de quem escreve com o coração.
Beijos, com carinho.

Rodrigo Aurélio disse...

Adorei!

se possivel da uma olhada :)

http://oquasimodo.blogspot.com

Rosa Magalhães disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rosa Magalhães disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Daise Poeta disse...

'sou hóspede do tempo da minha casa das minhas palavras...'

isso me comoveu muito sabia?

quando falam nelas..'palavras' fico boba e não sou mais eu!

Parabéns pelo blog, posso 'linká-lo' ao meu?

O Profeta disse...

Hoje vou falar de um bruxo
Do julgamento dos seus fracassos
Das marcas deixadas no pó
Dos seus errantes passos

Convido-te a partilhar a Serenidade na palavra


Mágico beijo

Rosa Magalhães disse...

Anjo meu, cadê você??? Não consigo te ligar! Me liga, plisi: 9991-5537. Vais para o Piauí Pop? Bjooo!

Flávio Moreira disse...

Rosa, fico muito feliz que tenha gostado do blog. Sem a menor demagogia, o seu é muito bacana tb, parabens! Será sempre um prz saber que vc me prestigia. Se cuida =* bju