segunda-feira, 14 de maio de 2012

conforto pra alma





Quero o cheiro da felicidade, o gosto da saudade, o olhar do novo, a voz da razão e o ...toque da ternura. Luto contra o óbvio, porque sei que dentro de mim há um infinito de possibilidades e embora sentimentos ruins também transitem por aqui, sei que devo conduzi-los com a força do pensamento até a porta de saída.

Decidi não delegar função para cada coisa que eu quero. Nem definir o lugar adequado para tudo de bom que eu sinto. Nossos sentimentos são seres vivos e decidem sem nos consultar. A prova de que na vida, rótulos são dispensáveis e sentimentos inclassificáveis.



Estou em csa, feliz.

xero na alma

2 comentários:

Donaella disse...

Um texto de desejos, lindo!!
Amém!
Um grande beijo na alma

Cores da Vida... disse...

Com certeza, devemos nos ater aos nossos sentimentos..., que nos são alimentos para a nossa alma...

Beijos,