segunda-feira, 22 de novembro de 2010

o essencial em mim



 Quando nada mais houver,
eu me erguerei cantando,

saudando a vida
com meu corpo de cavalo jovem.
E numa louca corrida
entregarei meu ser ao ser do Tempo
e a minha voz à doce voz do vento.
Despojado do que já não há
solto no vazio do que ainda não veio,
minha boca cantará
cantos de alívio pelo que se foi,
cantos de espera pelo que há de vir....

de amigo caio



Eu já tinha escrito esse texto de caio uns tempos atras, mas ele é tão atual pra mim, que quis registrar de novo.
xero na alma e boa semna a todos nós.

3 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Caio sempre mexe fundo dentro de nós.

Beijo.

Rebeca

-

Iram M. disse...

Canto de alegria por ter você comigo.

Beijos

Iram

Rosinha disse...

Obrigada a todos
Xero na alma