domingo, 6 de dezembro de 2009

certezas














Às vezes mais vale desistir do que insistir, esquecer do que querer, arrumar do que cultivar, anular do que desejar. No ar ficará para sempre a dúvida se fizemos bem, mas pelo menos temos a paz de ter feito aquilo que devia ser feito.
Às vezes é preciso mudar o que parece não ter solução, deitar tudo abaixo para voltar a construir do zero, bater com a porta e apanhar o último comboio no derradeiro momento e sem olhar para trás, abrir a janela e jogar tudo borda fora, queimar cartas e fotografias, esquecer a voz e o cheiro, as mãos e a cor da pele, apagar a memória sem medo de a perder para sempre, esquecer tudo, cada momento, cada minuto, cada passo e cada palavra, cada promessa e cada desilusão, atirar com tudo para dentro de uma gaveta e deitar a chave fora, ou então pedir a alguém que guarde tudo num cofre e que a seguir esqueça o segredo.

Às vezes é preciso saber renunciar, não aceitar, não cooperar, não ouvir nem contemporizar, não pedir nem dar, não aceitar sem participar, sair pela porta da frente sem a fechar, pedir silêncio e paz e sossego, sem dor, sem tristeza e sem medo de partir. E partir para outro mundo, para outro lugar, mesmo quando o que mais queremos é ficar, permanecer, construir, investir, amar. Porque quem parte é quem sabe para onde vai, quem escolhe o seu caminho e mesmo que não haja caminho porque o caminho se faz a andar, o sol, o vento, o céu e o cheiro do mar são os nossos guias, a única companhia, a certeza que fizemos bem e que não podia ser de outra maneira.

Quem fica, fica a ver, a pensar, a meditar, a lembrar.

Até se conformar e um dia então esquecer.


(margarida rebelo pinto)



Estou querendo fazer um texto que fale de amor.
Não estou consiguindo.
Minhas ideias fogem como o vento.
Aos poucos estou montando os ajustes do quebra-cabeça.
Já, já sinto e respiro. Sou assim mesmo.
Cheia de altos e baixos.
Mas, hoje e agora com diferenças.
Sempre com a pergunta: o que "isso" pode me agregar de positivo?
A resposta é certeira.
...
Sábádo é o casamento de Julianna e Davi.
Filhotes em Minas.
Amigos que não vejo há muito tempo.
Pessoas que moram no meu coração vindo de Aracaju.
Trabalho...viagens...conhecimento.
Semana feliz.


Xero de rosa.
Ainda em Minas.

2 comentários:

Dois Rios disse...

Pois é, linda Rosinha, as vezes é preciso... e como é preciso. Adoro Margarida R. Pinto. Coincidentemente postei um texto dela há poucos dias atrás.

Xero, minha flor!
Inês

p.s. Quanto ao texto de amor, deixe-o fluir no momento em que as ondas estiverem no topo.

Jucosfer disse...

é tão bom passar aqui e ver coisas novas [O layout ficou a sua cara, mesmo não a conhecendo além das fotos], ler crescimento e sentir sua alma.
bjão querida.