quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

CORAÇÃO APRENDIZ

A gente se acostuma a medir a vida em dias, meses, anos...
Mas, será que é mesmo o tempo que mede a nossa vida?
Ou a gente devia contar a vida pelo número de sorrisos?
De abraços? De conquistas? Amores?
E, porque não fracassos também?
Por que ao invés de dizer tenho tantos anos, a gente não diz:
tenho três amigos, oito paixões, quatro tristezas, três grandes amores e dezenas de prazeres?
A gente vai vivendo e, às vezes, esquece que a vida não é o tempo que a gente passa nela.
Mas, o que a gente faz e sente em quanto o tempo vai passando.
Dizem que a vida é curta, mas isso não é verdade.
A vida é longa pra quem consegue viver pequenas felicidades.
E, essa tal felicidade vive aí disfarçada, como um criança traquina
brincando de esconde-esconde.
Pois é...
E continuo....

Muitas vezes é necessário que tudo se perca.

Para que se possa novamente recomeçar.
Recomeçar, com maior experiência, com mais vida,
Com mais amor, com mais dedicação, e,
Principalmente, com mais esperança em tudo que
Temos que construir para o nosso amanhã.
Recomeçar, vivendo o dia de hoje intensamente
E tirando do ontem, apenas o aprendizado.


Xeros.


Fiquem com DEUS.

3 comentários:

Donaella disse...

Essa alma aqui é sempre linda!!
Sendo assim, tenho um milhão de anos! essa descrição é muito mais autêntica e gostosa!

Bj querida

Jucosfer disse...

E quando a gente se depara com textos assim, aí é que vive mais ainda!!

um beijo na alma, lindona.

Ana Vassalo disse...

Minha querida, cheguei a este lugar nem sei bem como... cheguei, e pronto. E que bom que foi, ter chegado! Ganhei o dia!
A palavra revela-nos, comprovo-o aqui, mais uma vez. E aproxima-nos daquele mundo que é mais nosso, onde se passeiam as pessoas que queremos conhecer, porque queremos aprender.
Parabéns por esse mar que vc empresta na palavra... com tudo o que o mar detém.
Um excelente dia para si. Beijo.
Ana Vassalo
(Lisboa)