quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

A VIDA É UM MOINHO.


“Tudo muda o tempo todo no mundo”.
As vezes acontece, mas procuro não me iludir pela aparente estabilidade das coisas, pois a natureza da vida é a impermanência, a temporalidade.
Todas as coisas passam, mudam, o que estava no alto cai e o que estava embaixo ascende.
Ter sabedoria suficiente para não se deixar levar pelas flutuações da existência, não deixar que o humor flutue e fique à mercê dos acontecimentos. Manter-se firme no centro, observar as coisas que acontecem com um maior distanciamento.
Fazendo isso, vou aproveitar melhor as oportunidades que cheguem e vou saber distanciar dos eventuais azares que possam me ameaçar..

Um nome para o que eu sou ? Importa muito pouco. Importa o que eu gostaria de ser. Clarice Lispector me detalhou perfeitamente:
Sou uma pessoa que tem um coração que por vezes percebe. Sou uma pessoa que pretendeu pôr em palavras um mundo ininteligível e um mundo impalpável. Sobretudo uma pessoa cujo coração bate de alegria levíssima quando consegue em uma frase dizer alguma coisa sobre a vida humana ou animal.


Ando instável.
MEU CORAÇÃO ME APERTA.


Porque que a gente teima em não querer entender que a vida é um moinho.??
Mesmo assim vou permanecer com esse sorriso.
Ele é meu cartão, é meu crédito.
Sorrindo as portas se abrem.
Tenho uma enorme esperança em mim
Hoje Clarice Lispector escreveu pra mim dizendo...

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.




Xero.

Um comentário:

Diana disse...

"Li na época q estamos no passado, nostálgicos ou lamentosos. Ou no futuro, antecipando catástrofes ou adiantando possibilidades. No presente, nunca.."eu diria quase nunca, o certo é q se entendessemos do tempo o aproveitaríamos mais,cm vc diz "tudo muda o tempo todo", então pra q a pressa?Bjo.