segunda-feira, 28 de agosto de 2006

ME ILUMINA

Sempre vivi procurando o equilíbrio ideal pra viver. Fucei meus traumas de infância com uma certa arrogância. Pra ter a necessária coragem pra assumir a paisagem do ser que eu vi que sou. Do ser que eu vi que sou. De um lado eu sou meio estranho, inseguro em cima do muro tão só. Do outro lado eu sei o tamanho pulo de peito aberto e cara pro sol. Ilumina. Não sou mais tão ansioso. Me sinto leve e gostoso, livre solto pra mergulhar, no gozo do movimento.
(fabio jr.)


"Fernando Pessoa"
Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho. Cada momento mudei. Continuamente me estranho. Nunca me vi nem acabei. De tanto ser, só tenho alma. Quem tem alma não tem calma. Quem vê é só o que vê, Quem sente não é quem é.
Atento ao que sou e vejo. Torno-me eles e não eu. Cada meu sonho ou desejo é do que nasce e não meu. Sou minha própria paisagem; Assisto à minha passagem. Diverso, móbil e só.

Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo como páginas, meu ser.

O que segue não prevendo. O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li. O
O que julguei que senti.
Releio e digo.
"Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

** Eu hoje estou muito feliz,
e nessa felicidade ,escrevo a poesia que me toca.
Obrigado meu DEUS,

Se não bastasse ....ainda tenho paz..**(escrito por rosinha) **

4 comentários:

nubia disse...

Como fico feliz por vc, essa poesia de Fernando pessoa, é profunda, e vc nessa foto com sua neta, tá sublime.Boa semana.

mariane disse...

Oi rosinha, graças a Deus estamos todos bem...ana luiza a fofinha da casa...saiba que gosto muito dos seus depoimentos e mensagens... eu e o fernando infelizmente terminamos ontem, não sei o que vai acontecer, mas to tentando colocar meus pensamentos e minha vida em ordem.
te adoro!

jair disse...

oie soh eu voinha
eu aki marcandu sua vida
eita

Cida disse...

Tenho saudades, de ti.
É uma pena existir a distancia.
Torço por vc.Beijos nos meninos.