quinta-feira, 10 de março de 2011

tirar disfarces



Somos demasiado frívolos: 
buscamos o atordoamento das mil distrações,
corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas. 
Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é,
o que fazemos com a nossa vida, o tempo, os amores.
(...)
Compreender: 
Somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. 
É o poderoso ciclo da existência. 
Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo.



de lya


xero na pele do coração.

Um comentário:

Lilah Costa disse...

as vezes enchemos nossos dias com tarefas árduas para esquecer quem nós somos de verdade.
Saudades da tua alma!
Beijos
xD