quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

o meu amor há de ter força


Continuo a velha cria do tempo.
Incontrolável.
Paciente.
Consegui tirar a areia dos pés.
Me desfiz das incertezas que grudaram no cabelo.
Lavei o sal do corpo e agora vivo assim, fazendo doces de mim.
Evoluo no meu papel de ser mar ou ser nada.
Adoço a vida não porque ultrapasso a leveza de um pássaro.
Adoço porque eu preciso fazer a alma sorrir enquanto a fechadura do desânimo não arrebenta o chão das certezas.
Continuo a velha cria do que um dia não aconteceu.
Ainda sou a velha cria do que nunca foi dito.
(...)
Eu preciso muito me ouvir.

de  priscila rôde

5 comentários:

Rosinha disse...

Todos precisamos de nos ouvir...

Donaella disse...

"Recria tua vida. Sempre, sempre. Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça." Cora Coralina
Obrigada pela frase que tocou o coração: "conte comigo".Essa sua alma de flor ainda vai te levar além!:)
bj

Baby disse...

Adorei ler as palavras que aqui postaste, li uma e outra vez...eu preciso muito de ler coisas bonitas que me tocam como um afago.
Obrigada!
Beijinhos.

Iram M. disse...

Oi amiga,
Voltei. Estava com saudade!
Nossa, que fim de ano maravilhoso, heim? O inicio do outro entao, nem se fala...rsrsrsrsr

Beijos

Rosinha disse...

VALEU GENTE...OBRIGADA PELOS AFAGOS NA ALMA