domingo, 15 de agosto de 2010

 “Demasiado tarde"
São estas as palavras mais tristes  de qualquer língua.”




“Arrumei os amores, é a primeira regra da vida – saber arquivá-los, entendê-los, contá-los, esquecê-los. Mas ninguém nos diz como se sobrevive ao murchar de um sentimento que não murcha. A amizade só se perde por traição – como a pátria. Num campo de batalha, num terreno de operações. Não há explicações para o desaparecimento do desejo, última e única lição do mais extraordinário amor. Mas quando o amor nasce protegido da erosão do corpo, apenas perfume, contorno, coreografado em redor dos arco-íris dessa animada esperança a que chamamos alma – porque se esfuma? Como é que, de um dia para o outro, a tua voz deixou de me procurar, e eu deixei que a minha vida dispensasse o espelho da tua?”

ines pedrosa 
boa semana
xero na alma

3 comentários:

Fé Fraga disse...

Obrigada pela visita no meu blog.
Gostei do seu blog.
Textos mt bons.
Vou te seguir tbm
Abraço,
Fé.

Jucosfer disse...

tão profundo...

Jucosfer disse...

esqueci de comentar..
layout fofo!!