domingo, 5 de agosto de 2007

ala n(a)lma


Quem pode saber, com precisão,
As fronteiras entre a paixão e o sentido?
Somos tão fragéis, quando pensamos na entrega, na busca.
Ser agua de beber não é facil, evaporar então....vixe.
Mas....o poeta Gonzaguinha não me deixa mentir quando diz:
"E a vida? E a vida o que é diga lá meu irmão? E a batida de um coração, é uma doce ilusão...ê ô ê ô...Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e ser a beleza de um eterno aprendiz.. E a vida? É bonita e é bonita........"
Ouvir o que o a cabeça não espera e sim o coração, é tudo de bom.
E junta tudo.
Se dejuntar, junta de novo.
Ando sendo aprendiz de prosa.

Quero te ver todos os dias.

Ah esse meu coração.
Que estava de greve.
Que andava desiludido, perdido.
E se encontrou.
E se encantou
Ah !!! menino
Que voa leve na minha alma.
Explora meu tempo
E todo meu espaço.
Anda fazendo moradia
No meu coração
Ah !!! menino
Fecho os olhos
Esqueço as horas.
Suspiro
Sonho
Rezo
Pedi a graça de vive-lo em paz.
Abraço-me.
Penso no que dizer
No que fazer
Nas palavras que ainda não disse.
E que estão aqui.
Estou pronta.
Viva.
Estou em paz.
(rosinha)

eu

4 comentários:

Jana disse...

Lindos versos querida!

Beijos

Naeno disse...

Obrigado Rosinha, a gente tem de achar um jeito de remar, e eu descobri estas águas rasas, e estou a andar pra lá e pra cá. Tentando brincar com as pessoas. Uns já conhecem a brincadeira e me ajudam muito, outros ignoram, e me atrapalham também muito. Uns se uniformizam mas enganam os pais e não vem para a brincadeira, vão para a bebedeira e se exaltam, e se ingrigam e ignoram os outros como se isso aos olhos de Deus fosse bonito ou contasse ponto. Eu estou por aqui fazendo, tu bem sabes, quando a gente se via quase todos os fins de semana com o grande craque vendido para Belo Horizonte, Luizinho de Aracajú, que esta é meu labor, além do trabalho de catar minhocas para sobreviver. Sou eu, sou eu, sou eu, teu amigo. E sinta-se felicitada, porque já decidi, meus amigos são os que tenho, não quero mais nenhum. Tá bom, minha casa não tem tanto cômodos assim, eu tenho problemas de torcicolo, não posso dar atenção a tanta gente. Mas tu, mas tu, mas tu, mais tu, és uma amiga dessas que andam pela casa toda.
Um beijo, saudades daqueles tempos. Que foram praticamente ontem. Tuas meninas cada uma mais bonita que a outra. Soube até qeu uma se casou. Olha lá vai passando a procissão.... o mundo passa, e o tempo roda dentro dele, e nsós, a cada volta completada, não somos mais os mesmos. Mas há gente que não entende que o que que se tem de fazer bom é aqui, e ruim também é aqui. Lá encima seremos meros cândidos olhos, alma, sem pele, sem rosto, sem pegadas. Não sentiremos dores, mas sentiremos saudades de nossas venturas e desventuras.

Um beijo na pelo do teu coração.
Naeno

* Tatá * - Taís Basso disse...

Aff coisa linda de Deus, eu gosto quando os dias me surpreendem, me tiram a tristeza e me dão momentos de alegria, e isso acontece quando venho aqui.
Ler você é viver em plena alegria.
Xerô.

Ana disse...

Homens de cabelo comprido,timidos, calados.....parabéns, tá bonito de se ver.Toda a felicidade do mundo, vc merece.