sexta-feira, 29 de outubro de 2010

das marcas sem cicatrizes



 Sinto saudades das coisas que vivi.
Das que deixei passar, sem curtir na totalidade.
Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que...
não sei onde...
Para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...

                                                                      de lispector 

Enquanto isso vou divertir a  alma da pessoa que vos escreve...
Dançando conforme a música.
Hoje a trilha sonora é dance.
Bom fim de semana a todos amigos que passam por aqui.

xero na pele do coração.

2 comentários:

Iram M. disse...

Oi Rosinha,

Este poema reflete muito bem nesses últimos capítulos da minha história.
Obrigada, querida1
Beijo

Iram

Jucosfer disse...

quando quero matar saudade de lispector sei onde encontrá-la.

bjos Flor.
Tenha um lindo fim de semana.