domingo, 11 de outubro de 2009

CORAÇÃO É TERRA QUE NINGUEM VÊ

Não sei... Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura...
Enquanto durar. (sabedoria de cora coralina)















Aceito contradições e imperfeições dessa vida..
Delas vou me servindo.
Me recriando sempre, sempre.
Aos poucos estou ouvindo o vento passar.

Xero de rosa.
Boa semana.

De Minas, De Minas.
De Minas Gerais.

4 comentários:

Dois Rios disse...

Ah, como eu gosto dessa poesia da Cora, Rosinha!

Há neles uma imensidão de verdades necessárias para vivermos em paz tanto conosco, quanto com os que nos cercam.

Xero,
Inês

p.s. Morri de saudades e voltei a postar no Dois Rios. Não será com a frequência de antes (quem sabe uma vez por semana?) mas será, rss...

Donaella disse...

Adoro a Cora e a sua poesia, de fato, inspiração!
Ela é a prórpia lucidez!
Bjs e aproveite Minas!
=]

Dois Rios disse...

Obrigada pelos belos versos do Milton, querida Rosinha! Você é um anjinho, viu?

Beijos,
Inês

rosammagalhaes disse...

Minas deve estar mais colorida com a passagem dessa Rosa...

Eita saudade da tua conversa boa!

Beijo de flor procê.