terça-feira, 18 de março de 2008

NOTAS PRELIMINARES.

DESDE UNS DIAS ANDO BEBENDO COM ALVARO DE CAMPOS.
ESTAMOS NÓS CONHECENDO...
AOS POUCOS SINTO QUE TEMOS MUITO EM COMUM.
Estou embriagada.

Afinal:
É inútil dizer-me que as ações têm conseqüências.

É inútil eu saber que as ações usam conseqüências.
É inútil tudo, é inútil tudo, é inútil tudo.
Ah....onde estou!!!
Ah, onde estou onde passo, ou onde não estou nem passo,
Um soneto:
Meu coração é um almirante louco. e abandonou a profissão do mar
Ali não havia:
E um grande mar de emoção ouvia-se dentro de mim...
Sou nada...
Sou uma ficção...
Que ando eu a querer de mim ou de tudo neste mundo?
Apontamento:
Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu.
Apostila:
Aproveitar o tempo! Tirar da alma os bocados precisos - nem mais nem menos - Para com eles juntar os cubos ajustados Que fazem gravuras certas na história
As vezes:
Às vezes tenho idéias felizes,

Idéias subitamente felizes, em idéias
E nas palavras em que naturalmente se despegam.
Começo a mim conheçer. Não existo:
Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram,
ou metade desse intervalo, porque também há vida ...
Sou isso, enfim ...
Mas eu:
Eu sofro ser eu através disto tudo como ter sede sem ser de água.O mesmo:
Sossega, coração inútil, sossega!
Sossega, porque nada há que esperar,
E por isso nada que desesperar também..

....................

"porque a gente está sem
pre entre o que queima e o que alivia."

Xero na alma.
escrito por rosinha.




Um comentário:

diana disse...

Esqueça Álvaro de Campos,Clarice, Caio Fernando...Vamos ler Pollyana, lembra? È bem do meu tempo, um bom jogo do contente...eu começo: Q bom q escreves tanto assim venho todo dia aqui admirar a boa rima das palavras,rsrs, bjus!